sexta-feira, 10 de julho de 2009

Bioethical Inquiry: resenha sobre o filme Hakani e o infanticídio

A revista Bioethical Inquiry publicou uma resenha do filme Hakani por Ruchika Mishra, que faz uma análise muito boa da situação e dos dilemas do infanticídio para os grupos que ainda o praticam, comentando a oposição sofrida pela Lei Muwaji no Congresso Brasileiro, lembrando que outras tradições culturais como escravidão já foram condenadas como injustas e abandonadas em outros momentos. Por fim, alerta que "uma criança deve ser ser respeitada como criança em primeiro lugar e ter o direito aos direitos humanos ão importa a sua localidade de origem. O estatuto moral não é diferente porque a criança nasceu dentro de uma população indígena da floresta tropical ao invés do Brasil suburbano" (Mishra R; 2009; p. 136. Tradução livre)
A resenha está disponível em inglês no link abaixo, e sugiro que seja lida na íntegra.


Mishra R. HAKANI: A Film Review. Bioethical Inquiry. 2009; 6:135–137
Disponível em: http://www.springerlink.com/content/c534h513j717h170/fulltext.pdf


Por uma vida com dignidade para as crianças indígenas e suas famílias,
Valéria

Um comentário:

  1. toda pratica que leve a tortura e sofrimento de uma criança deve ser banida da face da terra.
    Essa história de preservar cultura,e mentira.
    Falta e pressão social.Estão mais preocupados com arvores e passaros do que crianças enterradas vivas.Que horror!
    vAMOS ACABAR COM ISSO...

    ResponderExcluir